Câncer de Boca

SOBRE O CÂNCER de boca

O câncer de boca é uma doença cada vez mais frequente e pouco compreendida pelo público em geral. Em 2012, houve 61.400 novos casos de câncer de boca na Europa, provando que esta doença é motivo de séria preocupação. Além disso, a incidência de câncer de boca aumentou 25% nos últimos 10 anos. Os tumores de boca correspondem a 2% dos cânceres no mundo, totalizando 300.000 novos casos por ano.

Câncer de boca refere-se a tumores que começam na boca. Isso inclui o revestimento interno das bochechas e dos lábios, os dois terços anteriores da língua, o ventre da língua, as gengivas, o assoalho da boca, o céu da boca e a área posterior aos “dentes do siso”. 

Outra grande preocupação é que mais da metade dos casos de cânceres de boca se apresentam em estádios avançados; como resultado, o tratamento é muito complexo e menos eficaz. Apenas 30 a 40% dos pacientes com câncer de boca em estádio avançado são curados e, mesmo nos sobreviventes, há efeitos permanentes e inevitáveis na boca, causando problemas de mastigação, deglutição e fala. A boa notícia para os pacientes que recebem ajuda mais precoce é que o tratamento é mais simples, as taxas de cura são muito boas (cerca de 80%) e os problemas funcionais são muito menos intensos.

Um dos motivos pelos quais os pacientes são diagnosticados tardiamente é o estigma ruim associado ao câncer de boca bem como o fato de que a gravidade potencial de seus sintomas não é valorizada

FATORES DE RISCO

Existem três principais causas de câncer de boca: tabagismo, consumo de álcool e infecções por papilomavírus humano (HPV) (este último fator de risco para cancer de garganta).

• Tabagismo e consumo de álcool: de acordo com o último estudo do Cancer Research UK sobre fatores de risco para câncer, o tabaco é responsável por cerca de 65>#/span### dos casos e o álcool está ligado a cerca de 20% dos casos.

• Papilomavírus Humano: tornou-se evidente que a taxa de câncer de garganta relacionado ao HPV está aumentando rapidamente. Pacientes com câncer de cabeça e pescoço relacionado ao HPV são geralmente mais jovens, saudáveis e podem não estar relatar à história clássica de abuso de tabaco e/ou álcool.

PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV)

O HPV é um vírus muito comum que irá infectar a maioria das pessoas em algum momento de sua vida. Ele pode afetar a pele e as mucosas úmidas que revestem certas partes do corpo em diversas regiões, incluindo:

  • boca e garganta
  • ânus
  • colo do útero
  • vagina
  • vulva

Mais de 100 tipos diferentes de HPV foram identificados, com cada tipo sendo conhecido por um número. Alguns tipos de HPV têm sido associados a tumores não cancerígenos, mas outros tipos são conhecidos por causar câncer.

Sabe-se que alguns tipos de HPV, conhecidos como HPVs de "alto risco", aumentam o risco de desenvolver tipos específicos de câncer, incluindo câncer de canal anal, colo uterino e cabeça e pescoço. Estimativas recentes sugerem que mais de 5% de todos os cânceres são atribuídos ao HPV.

O HPV mais amplamente ligado ao câncer é o HPV-16; Ele é responsável por 50% a 60% dos tumores cervicais associados ao HPV e 80% a 90% dos tumores não cervicais associados ao HPV, tais como os tumores de cabeça e pescoço. Outros tipos de HPVs de alto risco ligados aos cânceres de cabeça e pescoço são os HPV-18, 31 e 33, embora sejam muito mais raros do que o HPV-16.

SINTOMAS

Os dois sintomas mais comuns do câncer de boca são:

  • Úlcera ou nódulo na boca que não cicatriza (80% das pessoas com câncer de boca têm esse sintoma)
  • Desconforto ou dor na boca que não desaparece

Outros sintomas podem incluir:

  • Nódulo indolor no pescoço: cada vez mais importante com aumento dos casos relacionados ao HPV
  • Mancha branca ou vermelha na boca ou garganta que não desaparece
  • Dificuldade ou dor ao mastigar ou engolir
  • Sensação de que algo está preso na garganta
  • Sangramento incomum ou dormência na boca
  • Perda de dentes sem motivo aparente
  • Dificuldade em mover a mandíbula
  • Problemas de fala
  • Perda de peso
  • Mau hálito (halitose)

DIAGNÓSTICO

Condições menos graves do que o câncer podem causar muitos desses sintomas, mas é importante e fundamental relatar quaisquer sintomas ao seu médico ou dentista. Dentistas, em particular, têm um papel importante na detecção precoce do câncer de boca bem como em encorajar os pacientes a cuidar de suas bocas.

Se um médico ou dentista vir um paciente com tais sintomas, tal paciente deve ter acesso rápido a uma rede de centros especializados com habilidades e treinamento específicos no tratamento do câncer de boca. Muitos desses centros são equipados com equipes multidisciplinares, que possuem especialistas em cirurgia, radioterapia, quimioterapia, exames diagnósticos, atendimento odontológico, fonoaudiologia e reabilitação aspectos específicos ao cuidado do câncer de boca.

TRATAMENTO

A maioria dos pacientes com câncer de boca em estádio inicial pode ser tratada com pequenas cirurgias, cuja recuperação é frequentemente rápida. Para estádios mais avançados, o tratamento envolve combinações de grandes cirurgias, radioterapia e quimioterapia. A pesquisa levou a grandes avanços na reconstrução cirúrgica e reabilitação bucal além de ter permitido um melhor direcionamento para a radioterapia e a quimioterapia a fim de otimizar o tratamento e minimizar o desconforto do paciente.