Câncer de tireoide

SOBRE O CÂNCER DE TIREOIDE

Uma glândula é um órgão do corpo humano que libera substâncias químicas especiais para uso no organismo. A glândula tireoide é uma pequena glândula que se localiza na base do pescoço, logo abaixo da laringe. Ela é formada por dois lobos com uma ponte no meio chamada istmo.

A glândula tireoide produz os seguintes hormônios:

  1. Tiroxina (T4)
  2. Triiodotironina (T3)
  3. Calcitonina

A tireoide é chamada de “glândula da atividade”, porque os hormônios T4 e T3 ajudam no controle do ritmo dos processos corporais - taxa metabólica. A glândula tireoide é estimulada pela glândula pituitária e pelo hipotálamo que são centros cerebrais. O terceiro hormônio, a calcitonina, está envolvido no controle do cálcio circulante no sangue.

Se a glândula tireoide de uma pessoa não produzir hormônio suficiente, ela se sentirá cansada, letárgica e poderá ganhar peso. Isto é chamado de hipotireoidismo.

Se a glândula tireoide produzir hormônio em excesso, ela sentirá fome, ansiedade e poderá perder peso. Isto é chamado de hipertireoidismo.

Map Of Thyroid Gland

CÂNCER DE TIREOIDE

O câncer de tireoide é incomum, com aproximadamente 53.000 novos casos diagnosticados na Europa, anualmente. Ele é duas ou três vezes mais comum em mulheres do que em homens.

Tipos de câncer de tireoide:

  1. Anaplásico - este é um tipo raro de câncer, que tem crescimento rápido. Ele é mais frequente em pessoas idosas e de difícil tratamento.
  2. Folicular - este é um câncer de tireoide menos comum, correspondendo a 15%. Ele ocorre, mais frequentemente, em mulheres acima dos 50 anos.
  3. Linfoma – embora raro, é possível ocorrer linfoma na glândula tireoide. Linfoma é um tipo de câncer que começa nas células do sistema imune.
  4. Medular - este é um tipo raro de câncer que está associado a história familiar.
  5. Papilífero - este é o tipo mais comum, sendo de crescimento lento e, mais comumente, encontrado em jovens.

FATORES DE RISCO

  1. Doença benigna da tireoide: um em cada cinco tumores de tireoide ocorre em pessoas com história de nódulo na tireoide, bócio (aumento de volume no pescoço) ou inflamação na tireoide.
  2. Exposição Radioativa: Tratamento radioterápico no pescoço aumenta o risco de câncer de tireoide.
  3. História familiar: Isto é, especialmente, importante nos casos de  câncer medular da tireoide. Pessoas que herdaram um oncogene chamado RET têm um risco aumentado de câncer medular da tireoide. Podendo ser parte de uma síndrome que aumenta o risco de desenvolver câncer em outras glândulas. Familiares de alguém com câncer medular de tireoide podem ser testados para avaliar se eles herdaram o gene defeituoso. Há, também, um pequeno aumento no risco de câncer de tiroide, se você herdou o gene que causa um problema intestinal chamado polipose adenomatosa familiar.
  4. Obesidade: Alguns estudos encontraram um risco aumentado de câncer de tireoide associado com obesidade. Por esse motivo, uma dieta balanceada e a prática de exercícios talvez possam reduzir o risco. 

SINTOMAS

  1. Nódulo indolor no pescoço, que cresce lentamente.
  2. Rouquidão que dura por mais de algumas semanas.
  3. Dificuldade para engolir pode, raramente, ser causada por um nódulo na tireoide comprimindo o esôfago.
  4. Dificuldade para respirar  pode, raramente, ser causada por um nódulo na tireoide comprimindo a traqueia.

É incomum que um câncer da tireoide eleve os níveis dos hormônios da tireoide.

DIAGNÓSTICO

Você deve inicialmente procurar um clínico geral. Ele perguntará o que você está sentido, examinará o seu pescoço e talvez queira  solicitar exames da tireoide. Se ele sentir necessidade, poderá te encaminhar para um especialista.

O especialista vai revisar os seus sintomas, examinar o seu pescoço e solicitar outros exames. Se ainda não tiver sido realizado, ele solicitará dosagem dos hormônios tireoidianos, ultrassonagrafia da tireoide e, se necessário, biópsia por agulha do nódulo da tireoide.

ESTADIAMENTO TUMORAL

O estadiamento de um câncer significa saber o tamanho e a extenção do tumor, ou seja, se ele se espalhou pelo corpo. A classificação mais utilizada é o TNM. No estadiamento TNM: T de tumor, avalia o tamanho do tumor; N de linfonodo (“nodes” em inglês), avalia o envolvimento linfonodal e M de metástases, avalia se o câncer se espalhou para outras partes do corpo.

TRATAMENTO 

Na maioria do serviços, um time de especialistas, chamado equipe multidisciplinar, vai orientar qual o melhor tratamanto para você. Este time inclui, mas não está limitado a: 

  1. Um cirurgião
  2. Um oncologista (especialista em câncer) 
  3. Um radiologista (especialista em imagens) 
  4. Um patologista (especialista em análise de tecidos e biópsias) 
  5. Um endocrinologista (especialista em hormônios e glândulas)
  6. Uma enfermeira
  7. Um dentista
  8. Um fonoaudiológo
  9. Um psicólogo
  10. Um fisioterapeuta

Tratamento do câncer papilífero e folicular da tireoide tem altas taxas de cura. O câncer medular da tireoide também pode ser curado, entretanto o câncer anaplásico é muito mais difícil de ser tratado.

Cirurgia: Geralmente, a cirurgia é o primeiro tratamento para o câncer papilífero, folicular e medular da tireoide. A cirurgia pode remover parte da tireoide (hemitireoidectomia ou lobectomia), ou toda a tireoide (tireoidectomia total). Em algum casos, se faz necessária a retirada dos linfonodos em torno da tireoide.   Tratamento com hormônio tireoidiano: Isto é, geralmente, feito após a cirurgia para repor os hormônios que a tireoide normalmente produz. Ele também reduz a chance de recorrência do câncer papilífero e folicular da tireoide.       

Iodo Radioativo: Ele pode ser útil, em pessoas com  câncer papilífero e folicular da tireoide, para destruir qualquer célula cancerígena remanecente, que a cirurgia não pôde remover.   

Radioterapia Externa:  Ela, também, pode ser útil para destruir qualquer célula cancerígena remanecente. Quimioterapia, não é um tratamento normalmente utilizado no câncer de tireoide. Câncer de tireoide é uma doença rara e, por isso, não há muitos estudos clínicos. Se houver algum estudo clínico aberto, seu médico poderá solicitar a você para considerar a participação. Por questão de segurança, todos os novos tratamentos em potencial têm de ser muito bem estudados antes de serem adotados como tratamento padrão. Estes tratamentos normalmente são desenvolvidos e testados em laboratório antes de serem testados em pacientes. A participação em um estudo clínico, geralmente, é benéfica para o paciente, além de ajudar a melhorar o conhecimento e o desenvolvimento de novos tratamentos.

SEGUIMENTO

Depois do seu tratamento, você fará avaliações médicas regulares. Estas avaliações incluem perguntas sobre os seus sintomas, exame físico do seu pescoço, exames de sangue e, possivelmente, exames de imagem. Você fará avaliações, por pelo menos, 10 anos e, muitas vezes, pelo resto da vida.

VIVENDO COM CÂNCER DE TIREOIDE

O diagnostico de câncer pode afetar as pessoas de várias maneiras. É muito importante que as pessoas tenham as informações corretas e sejam capazes de tomar decisões e lidar com as consequências. Existem várias organizações e grupos de suporte. O seu médico e enfermeira especialista podem te ajudar a ter acesso a eles.